Entre em contato com um de nossos especialistas!

Riscos que podem causar a não-sanitização e desinfecção

Estamos vivendo um período muito difícil em todos os países. Uma pandemia sem precedentes no mundo contemporâneo que mudou a forma que nos comportamos e como cuidamos dos nossos hábitos de higiene.

Precisamos estar atentos para passar por esse período com o corpo e a mente sã. Para isso, precisamos estar atentos aos temas prevenção e higiene. É preciso se preocupar com a própria saúde e das pessoas que convivemos, ter bons hábitos de higiene e entender que a limpeza dos ambientes é a extensão dos nossos hábitos de higiene pessoal. Que se não houver um ambiente limpo, nossa saúde e a dos outros pode ser prejudicada. Vamos juntos entender melhor o que fazer para nos prevenir.

O que é Saúde?

Segundo a OMS - Organização Mundial da Saúde - “Saúde é o estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não só a ausência de doença”.

Essa definição nunca foi tão esclarecedora, pois sabemos de casos assintomáticos, onde as pessoas estão contaminadas pelo Covid-19 e, no entanto, não sentem qualquer mal-estar ou nenhum de seus sintomas, mas continuam disseminando silenciosamente o vírus para outras pessoas ao seu redor. Além disso a saúde mental e social de todos está sob muita tensão, pois quem precisa sair diariamente de casa para trabalhar, sente o medo de se expor à doença. Já quem está isolado em casa sente muita falta da sua rotina, das pessoas e de tudo o que convivia. E como, em ambos os casos, todos devem manter um distanciamento social para se resguardar de qualquer possibilidade de contágio, estamos vivendo todos sob muita pressão sem o apoio de um simples e acolhedor abraço.

Época de resfriados

Para agravar mais ainda a situação, estamos em uma época do ano em que a temperatura num único dia varia bastante, e ficamos suscetíveis a gripes e resfriados, que têm sintomas muito parecidos com os casos mais leves da Covid-19. Por essa razão, é preciso redobrar os cuidados e evitar contato direto, como beijos, abraços, apertos de mãos, mantendo uma distância mínima de 1,5m de outra pessoa, que é a distância segura para que o vírus não seja transportado pela respiração ou fala. Se houver alguém tossindo a distância deve ser de 2m e é necessário aumentar o distanciamento para 6m de quem está espirrando.

Em casa, na rua ou no trabalho, ao espirrar ou tossir é fundamental usar lenços descartáveis e jogá-los em lixeiras com tampa. Se não tiver um lenço à disposição, cobrir a boca e o nariz com o antebraço ao tossir ou espirrar ajuda a brecar o lançamento de vírus no ar. Após usar o antebraço, lavar com água e sabão assim que possível.

Água e sabão são os melhores aliados para manter a higiene

Quando estiver na rua ou no ambiente de trabalho, leve álcool-gel e higienize as mãos sempre que tocar superfícies de uso coletivo, como corrimão de escadas, trincos de portas etc. Se houver onde lavar as mãos com água e sabão, faça uso com mais frequência. Mas lavar as mãos rapidinho não adianta nada! Precisa seguir o seguinte passo a passo contando até 10 em cada etapa:

Com as mãos úmidas, coloque um pouco de sabonete e esfregue as palmas das mãos uma na outra

Entrelace os dedos para lavar cada um deles

Esfregue a parte de trás das mãos

Lave entre os polegares

Lave atrás dos dedos

Esfregue as unhas na palma das mãos

Esfregue os pulsos

Seque bem as mãos com uma toalha limpa, de preferência descartável.

Higiene ao entrar em casa

Para quem precisa sair diariamente ao trabalho ou sair de casa para comprar itens essenciais como alimentos ou remédios é necessário criar uma rotina de higienização para não levar o perigo da contaminação para o lar.

Ao chegar em casa, limpe a maçaneta, as chaves, o puxador da porta do elevador, corrimão das escadas etc., utilizando um lenço descartável borrifado com água e gotas de detergente.

Outra dica de prevenção é entrar em casa sem os sapatos. Os calçados podem trazer o vírus para dentro do lar. O melhor, nesse momento, é separar um par para sair de casa e mantê-lo próximo à porta. Se não for possível, utilizar apenas um calçado, ao entrar em casa, carregue-os nas mãos até a lavanderia e limpe-os bem com água e gotas de xampu ou detergente, e só depois guarde-o com os outros sapatos.

Bolsas e acessórios também devem receber atenção e limpeza necessária, pois podem encostar em muita coisa até chegar em casa. Use um pano com álcool 70 ou água com gotas de detergente ou xampu. Lembre-se de pendurar bolsas em um local adequado para não contaminar sofás, mesas e cadeiras.

Já as roupas usadas fora de casa devem ir direto para o cesto de peças sujas, ou ainda colocadas na máquina de lavar até acumular uma boa quantidade para lavar todas as peças de uma só vez.

O passo seguinte, ao chegar da rua, é tomar um bom banho e só depois disso se relacionar com as outras pessoas da residência. Antes do banho, claro, evite colocar as mãos no rosto ou mesmo nas paredes ou móveis da casa.

Higienização dos alimentos

As embalagens dos alimentos comprados devem ser limpas antes de guardadas. Caixas de leite, latas de conservas, potes, vidros, garrafas, sacos de alimentos perecíveis ou não, devem ter suas superfícies limpas com pano úmido de água com gotas de detergente. Depois é só secar com um pano seco e limpo e guardá-los normalmente.

Essa limpeza é importante, pois esses produtos passam pelas mãos dos funcionários das lojas, de clientes que pegam as embalagens e depois não levam. Em todos estes processos, as embalagens podem ser contaminadas e levar o vírus para casa.

Para lavar as verduras e frutas utilizar água corrente e, depois, colocá-los em solução de hipoclorito de sódio, conforme instruções da embalagem, ou mesmo em solução de 1 colher de água sanitária, própria para desinfetar alimentos, em 1 litro de água.  Em seguida, enxaguar novamente para tirar o excesso do produto.

Limpeza e desinfecção de aparelhos eletrônicos

Em casa ou no trabalho utilizamos, a todo momento, aparelhos eletrônicos. Para desinfetar celulares, controle remoto, notebooks, teclados de computador e qualquer outro aparelho eletrônico, borrifar álcool isopropílico em um lenço de papel e só depois passar no aparelho. O álcool isopropílico pode ser encontrado em lojas de aparelhos eletrônicos. Outros tipos de álcool contêm água que prejudica esses aparelhos.

Rotina de limpeza

E atenção, todas essas precauções só valem para quando se chega da rua.  Caso não esteja saindo, não tem motivo para ficar passando álcool em tudo e em todo momento. Limpar a casa uma vez ao dia já é o suficiente. Tirar o pó dos móveis, varrer o chão e utilizar um pano úmido utilizando um desinfetante comum ou água sanitária, respeitando as instruções de diluição presentes na embalagem, já deixa a casa limpa e desinfetada.

Deixe o sol entrar

Outro fator importante para a saúde do ambiente é deixar as janelas abertas para favorecer a circulação e renovação do ar. Sempre que possível, deixar o sol entrar para aproveitar seu calor e sua iluminação natural que traz frescor, bem-estar e esperança de tempos mais leves.

Qual a importância dos hábitos de higiene

A pandemia da Covid-19 veio ressaltar a importância de cultivar bons hábitos de higiene. Isso porque a transmissão do coronavírus se dá, entre outras formas, por meio do contato da mão suja com os olhos, a boca ou o nariz, principais portas de entrada para o vírus no organismo.

Como medida preventiva, o mais importante seria lavar com água e sabão as mãos e o rosto a cada contato com outras pessoas e até mesmo quando, porventura, esfregar o nariz, olhos ou passar as mãos nos lábios e boca.

Tudo isso porque o vírus causador da Covid-19, o Sars-CoV-2, é disseminado pelo ambiente e transferido de pessoa para pessoa por meio de gotículas de saliva. Sendo assim, bons hábitos de higiene evitam que esse fluido corporal seja espalhado pelas superfícies e tenha contato com indivíduos saudáveis.

Porém, diversas outras doenças podem ser disseminadas em função de hábitos de higiene ausentes ou praticados com pouca frequência, como:

  • gripes;
  • resfriados;
  • micoses;
  • inflamações oculares;
  • meningite;

Portanto, embora a pandemia do novo coronavírus tenha reforçado a importância de cultivar os hábitos de higiene, eles já eram necessários antes dela. Afinal, as gripes e resfriados, por exemplo, também são transmitidas de pessoa para pessoa por meio de secreções espalhadas pelo ar e por superfícies.

É importante lembrar que, quando adotamos essas medidas preventivas, estamos evitando contrair uma doença ou transmitir para os demais. Então, trata-se de uma questão de saúde pública, onde o respeito ao coletivo deve imperar.

Quais são os principais hábitos de higiene?

Em relação à Covid-19, é importante lavar as mãos após qualquer contato nasal, na boca, nos olhos ou com terceiros, mesmo sendo do seu convívio. Além disso, tomar banho sempre que tiver oportunidade, principalmente quando chegar da rua ou trabalho.

É importante higienizar a casa com água sanitária, porque esse produto é capaz de desinfetar as superfícies e eliminar o vírus. A mesma atenção deve ser dada aos alimentos, assim que chegarem das compras.

Eles não podem ser armazenados no armário ou geladeira sem antes passarem por uma boa limpeza, porque existe o risco de contaminarem o que já está guardado. Há diferentes formas de fazer essa higienização, dependendo do tipo de alimento.

Aqueles embalados podem ser higienizados com álcool 70%. Frutas e legumes que precisam ser descascados, como a laranja e a batata, podem ser lavados com água e sabão. Já as verduras devem ser mantidas de molho em água com água sanitária (checar as medidas recomendadas na embalagem do produto), ou uma solução específica para higienização de alimentos.

Trocar as roupas pessoais e de cama regularmente

Da mesma forma como a sujeira se deposita sobre a pele, ela também está nos tecidos. Assim, se utilizar a mesma peça mais de uma vez, especialmente quando sair de casa com ela, seu corpo poderá entrar em contato com as impurezas novamente.

O ideal é que a roupa seja trocada diariamente, sendo também fundamental a troca das roupas de cama com frequência, principalmente se ela for dividida com outra pessoa. Lençol, fronhas e cobertores precisam ser higienizados porque ficamos muito tempo em contato com eles, o que leva a um acúmulo de umidade que favorece a proliferação de agentes patógenos.

A troca semanal é suficiente, desde que a cama seja utilizada apenas para dormir. Além disso, o ideal é que durante o dia ela seja recoberta por uma colcha, e que os travesseiros utilizados à noite estejam bem armazenados para que não haja contato constante com o ambiente.

Quais são os hábitos mais ausentes?

É bastante comum que os hábitos de higiene sejam negligenciados, em especial quando as pessoas estão fora de casa. Uma explicação seria o fato de os recursos necessários para manter em esses cuidados serem mais escassos nos ambientes públicos. Além disso, existem muitas distrações que fazem esses detalhes passarem despercebidos.

Por isso, fora de casa nem sempre as pessoas se preocupam em lavar as mãos antes de comer ou depois de cumprimentar alguém. Também é bastante comum que não tenham consigo um kit de higiene bucal para utilizar após as refeições.

Outra prática muito recorrente, e que a coloca a saúde em um sério risco, é o compartilhamento de objetos pessoais. Isso acontece, por exemplo, ao dividir uma bebida ou comida, emprestar os óculos, um batom, compartilhar toalhas, entre outros.

Todas essas práticas devem ser evitadas porque esses objetos acumulam fluidos corporais, então, pode haver a transferência entre pessoas e, por consequência, contaminação. Isso contribui para a disseminação de diversas doenças, não só a Covid-19, mas também hepatite, gripes e resfriados...

Também acontece de os hábitos de higiene serem praticados parcialmente, como lavar as mãos apenas com água. Na ausência de sabão ou sabonete, seria melhor utilizar o álcool em gel, um produto que está muito popularizado por causa da Covid-19.

Que problemas essa ausência traz?

A negligência com os hábitos de higiene, seja em casa ou fora dela, traz as mesmas consequências, que são contrair e disseminar doenças diversas. Ou seja, uma pessoa saudável pode ficar doente, e aquela que já é portadora de algum problema dissemina entre os demais.

No caso da Covid-19, uma pessoa pode infectar outras seis, número que poderia ser reduzido por meio da adoção desses hábitos. Pode-se contrair qualquer doença viral ou bacteriana existente, que vai de uma simples gripe até mesmo uma meningite fatal, quando esses hábitos não são observados.

Perceba que em uma família, quando um dos membros contrai um resfriado, por exemplo, é bastante comum que outros fiquem doentes em sequência. Isso se dá pela disseminação do vírus no ambiente da casa ou pela transmissão dele de pessoa para pessoa.

O mesmo acontece em espaços coletivos, como estamos vendo com a Covid-19, e é por isso que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o afastamento social, pois dessa forma, limitamos a circulação do vírus, e minimizamos novos contágios.

Quando não praticamos corretamente os hábitos de higiene, aumentamos o nosso risco de adoecermos, tanto porque podemos já estar em contato com os micro-organismos, quanto por facilitarmos a proliferação deles. É o que acontece quando não escovamos os dentes, pois favorece a colonização das bactérias que provocam inflamações e infecções bucais.



  • Rio de Janeiro
  • São Gonçalo
  • Duque de Caxias
  • Nova Iguaçu
  • Niterói
  • Belford Roxo
  • São João de Meriti
  • Petrópolis
  • Magé
  • Itaboraí
  • Mesquita
  • Teresópolis
  • Nilópolis
  • Queimados
  • Maricá
  • Itaguaí
  • Japeri
  • Seropédica
  • Rio Bonito
  • Cachoeiras de Macacu
  • Guapimirim
  • Paracambi
  • Mangaratiba
  • Vassouras
  • Tanguá
  • Paty do Alferes
  • Miguel Pereira
  • São José do Vale do Rio Preto
  • Mendes
  • Engenheiro Paulo de Frontin