Entre em contato com um de nossos especialistas!

X formas de fazer a sanitização de ambientes

Por mais que um ambiente esteja aparentemente limpo, é bem provável que ele continue infectado por ameaças microscópicas, e responsáveis por causar doenças. 

E é aí que entra a sanitização, uma vez que ela promove o controle de germes potencialmente danosos à saúde.

Ao propósito, seja na cozinha do restaurante ou na academia, um ambiente limpo e descontaminado pode fazer a diferença entre a saúde e a doença. Por isso, é importante estar atento aos procedimentos de limpeza e descontaminação.

 

Quais os riscos de um ambiente contaminado?

Primeiramente, não é novidade que o ambiente contaminado se traduz em riscos para seus usuários. A saber, o principal é o risco biológico, que se refere a probabilidade da exposição a agentes biológicos. 

 

Num ambiente contaminado, são potenciais agentes biológicos: 

Microrganismos (bactérias, fungos e vírus);

Parasitas internos (vermes);

Parasitas externos (sarna, piolho e berne);

Protozoários.

Em virtude da contaminação com estes agentes biológicos, o local pode representar perigo. Ou seja, é possível que o ambiente seja fonte de inúmeras doenças para os usuários, sejam colaboradores, visitantes ou transeuntes.

Só para exemplificar, estas são algumas doenças que podem ser transmitidas em ambientes contaminados:

Bactérias: tuberculose, pneumonia, intoxicação alimentar;

Vírus: gripes e resfriados, hepatite, sarampo, caxumba;

Fungos: micoses de pele, aspergilose, alergias respiratórias;

Protozoários: doenças diarreicas como a giardíase;

Vermes: solitária, bicho geográfico, lombrigueiro;

Parasitas externos: chato, piolho, sarna.

 

Qual o 1º passo para a descontaminação?

Certamente a limpeza ou é o passo inicial de qualquer processo de descontaminação. Desse modo, constitui um componente essencial dos procedimentos de sanitização, e geralmente são efetuadas com o emprego de agentes químicos tais como detergentes. Da mesma forma, a limpeza também pode ser realizada utilizando-se apenas de técnicas mecânicas, como a lavação ou a varredura úmida.

Nesse sentido, é importante lembrar que a limpeza tem como principal objetivo remover sujidade e resíduos. Não importa o tipo de sujeira, se orgânica ou mineral, aderida às superfícies. 

A sujeira é constituída principalmente por proteínas, gorduras, carboidratos e minerais e pode funcionar como um meio de conservação e crescimento de micro-organismos. Por isso, a limpeza desempenha o importante papel de remoção das contaminações visíveis da superfície, podendo ocorrer também uma diminuição significativa da carga microbiana contaminante.

 

Quais ambientes podem ser sanitizados?

Quando pensamos em sanitização é comum imaginarmos fábricas de alimentos, farmácias e espaços de atendimento à saúde. No entanto, qualquer ambiente pode beneficiado pela sanitização.

Até mesmo residências, escritórios e veículos de transporte de passageiros. Sobretudo, em ambientes onde ocorre grande circulação de pessoas.

Vejamos os benefícios em alguns destes lugares. 

 

Escolas

Escolas são ambientes delicados, pois abrigam crianças de diversas idades, incluindo as pequenas, com imunidade em desenvolvimento. A suscetibilidade dos infantes os torna vítimas potenciais dos micro-organismos causadores de doenças, e a convivência entre os colegas facilita a transmissão dos germes.

Nesse sentido, a adequada higienização e o controle sanitário desses ambientes é sobressalente para manutenção da salubridade e segurança da escola. Somado a isso, há o fato de que em ambientes mais limpos e seguros o absenteísmo tende a diminuir, pois, tanto alunos quanto educadores e assistentes adoecem menos.

Além disso, a sanitização da escola pode ser considerada um diferencial competitivo para a instituição, uma vez que sai na frente ao privilegiar a saúde de seus alunos.

Hospitais

Inegavelmente, nos hospitais, a maior preocupação quanto à higiene do ambiente são as infecções hospitalares. Devido à condição clínica dos pacientes, o contato com organismos aparentemente inofensivos pode se tornar um problema fatal.

Ademais, hospitais são ambientes complexos, com a junção de diversas estruturas. Cozinha, lavanderia, abrigo de resíduos, áreas de espera, enfermarias, centro cirúrgico e UTIs. Ufa! Tem um pouco de cada espaço.

O processo de sanitização de hospitais e unidades de saúde pode ser absolutamente benéfico se utilizada tecnologias que garantem amplo alcance dos saneantes. Em suma, há uma alta durabilidade dos resultados, com eliminação e restrição do crescimento e proliferação de germes.

 

Laboratórios e indústria farmacêutica

Na rotina de fabricação e para a qualidade de produtos farmacêuticos, especialmente estéreis, a sanitização de áreas e ambientes controlados é essencial.

Nestes ambientes há, portanto, necessidade de se criar, validar e aprovar um programa para a sanitização.  

Por se tratar de procedimentos assépticos, o processo precisa ser constantemente avaliado. Seja como for, é imperativo monitorar as áreas para detectar o possível surgimento de micro-organismos novos ou resistentes que possam comprometer a eficácia de sanitizantes utilizados na rotina farmacêutica.

 

Industria alimentícia

A limpeza e a sanitização na indústria alimentícia são de fundamental importância no controle sanitário dos alimentos. Sobretudo, garante a segurança e a qualidade deles, a fim de evitar perdas econômicas e agravos relacionados à saúde pública.

Tanto quanto contaminantes nos hospitais, o volume de produtos orgânicos disponíveis nesses locais são o meio ideal para a proliferação de micro-organismos. Dessa forma, limpeza e sanitização na indústria alimentícia são consideradas operações complementares e indissociáveis. 

Academias

Com potencial de transmissão de doenças subestimado, as academias também são beneficiadas pela sanitização. Afinal, são ambientes propícios para a proliferação de micro-organismos em equipamentos e superfícies que mantém contato com pele e suor.

Tudo isso sem falar nos locais úmidos, como piscinas e saunas. Diante dessa realidade, a sanitização em academias surge como a solução para eliminar os microrganismos causadores de micoses, doenças diarreicas e respiratórias. Assim, e proteger os alunos de infecções indesejadas. 

Agropecuária

Sob o mesmo ponto de vista, os micro-organismos causadores de doenças não são problemas apenas para os seres humanos. Espécies de potencial patogênico podem ser introduzidos em granjas de aves, suínos e incubatórios de inúmeras formas. Logo, os processos de sanitização são essenciais para conter ou eliminar a disseminação de doenças.

A adequada sanitização é a melhor e mais econômica forma de prevenção e controle. Visto que, conter possíveis surtos e lidar com suas consequências, pode não ser a maneira mais barata.

Destaca-se que a limpeza cuidadosa antes da aplicação de qualquer sanitizante é o que torna o processo seguro.

Residências e escritórios

Estes ambientes podem ser bastante beneficiados pelo processo de sanitização. O método inclui paredes, tetos, pisos, mobiliários e ar-condicionado, assim promove descontaminação geral, deixando o ambiente livre de microrganismos.

 

Quais os principais produtos Sanitizantes?

Posto isso, chegou a hora de conhecer os princípios ativos mais utilizados no processo de sanitização.

 

Ácido Peracético

É o princípio ativo de diversos sanitizantes comerciais. Sobretudo, esses produtos são constituídos de uma mistura estabilizada de ácido peracético, acético peróxido de hidrogênio e um veículo  estabilizante. 

 

O ácido peracético é um forte oxidante com atuação na parede celular e no interior da célula microbiana o que danifica o sistema enzimático causando a destruição do microrganismo. Assim como todo saneante o ácido peracético possui algumas vantagens: 

 

Ação em baixas temperaturas

Não corrosivo ao aço inox e alumínio em concentrações recomendadas de uso; 

É inodoro na forma diluída e não requer enxágue da superfície. 

 

Desvantagens: 

Baixa estabilidade durante a estocagem;

Irritante à pele;

É incompatível com ácidos, álcalis concentrados, borrachas naturais e sintéticas, ferro, cobre e alumínio.

Compostos Clorados 

Certamente, o cloro é largamente utilizado, seja na forma de gás cloro, hipoclorito de cálcio ou sódio. Além disso, há os produtos liberadores de cloro como dicloroisocianurato de sódio ou potássio, que apresentam vantagens de custo e eficiência. 

Ao passo que sua ação se dá pela destruição da cápsula bacteriana de proteção e oxidação do protoplasma celular, também exercem a sua função sanitizante formando cloraminas tóxicas que alteram a permeabilidade celular e impedem a regeneração enzimática. 

 

Dentre as vantagens:

Mais barato;

Eficaz em diferentes diluições;

Fácil preparo e aplicação.

Possui consideráveis desvantagens:

Altamente corrosivo (danificam juntas de peças de borrachas e reagem com matéria orgânica);

Irritante à pele, mucosa e vias respiratórias dos manipuladores.

Iodóforos

Sua ação é através de seu alto poder de penetração na parede celular, levando a ruptura de proteínas. 

Iodo em solução a 1% é eficiente no combate de bactérias do Grupo Coliforme, como a Escherichia coli e do Staphylococcus aureus. Assim, pode contribuir significativamente na redução de surtos infecciosos causados por alimentos inadequadamente manipulados.

Usualmente utilizados em concentração de 30 a 50 ppm por um tempo menor ou igual a 10 minutos. 

 

Como principais vantagens:

Pouco irritantes à pele;

Menos corrosivos aos metais que o cloro;

Ativo em baixa concentração;

Estável;

Fácil preparo. 

 

No entanto, também tem desvantagens:

Diminui a eficiência com a elevação do pH;

Podem alterar o sabor ou odor dos alimentos;

Manchar os materiais plásticos;

Custo superior ao do cloro;

Não pode ser utilizado em temperaturas acima de 45ºC.

 

Compostos Quaternários de Amônio

Quando em contato com membrana celular dos microrganismos, alteram sua permeabilidade estimulando a glicólise provocando assim o esgotamento celular. 

Só para exemplificar, o composto contendo quaternários de amônia (400ppm do princípio ativo) é mais eficiente que o composto clorado (50,2ppm) na redução da contaminação por Salmonela enteritidis e mesófilos totais.

 

Possuem como vantagens:

Fácil preparo e aplicação;

Neutralizam odores;

Tem amplo espectro de ação (exceto para bactérias Gram negativas). 

Pode ser desvantajoso se considerarmos que:

O custo é elevado;

Pouco eficiente em meio ácido e em contato com proteínas. 

Vortexx

Ao propósito, é uma novidade no mercado. O Vortexx é um desinfetante à base de ácido peracético e ácido  peroctanóico indicado principalmente para indústrias alimentícias.

 

Possui algumas vantagens como: 

Alta eficiência biocida contra a maioria dos micro-organismos;

Concentrações mais baixas do que os desinfetantes à base de ácido peracético convencionais; 

Evita a necessidade de múltiplos desinfetantes; 

Elimina a necessidade de enxágue. 

Por se tratar de produto novo, a única desvantagem conhecida é o custo elevado, se comparado aos demais.

 

Ozônio – Oxi-sanitização

Em princípio, o processo chamado de oxi-sanitização é aquele que utiliza o ozônio, seja na forma dissolvida em água ou na forma gasosa, para sanitização de superfícies e ambientes.

Dissolvido em água, o produto pode ser utilizado nas mesmas condições e equipamentos que já usam cloro e outros produtos oxidantes de mercado. Além disso, equipamentos impermeáveis, como paredes, pisos, tanques, utensílios de cozinha, balcões e mesas também podem ser pulverizados com água ozonizada.

O gás ozônio direto é obtido dentro de geradores de ozônio e liberados diretamente no ambiente. Por ser um gás nocivo se respirado, carece rigoroso controle de aplicação e de exposição de pessoas para que o processo ocorra da forma correta e sem prejuízo à saúde humana.

Trata-se de uma forte oxidante, com efeito, o ozônio deve ser utilizado em materiais compatíveis e que podem ser expostos por tempo prolongado sem degradar.

 

Maiores vantagens:

Sanitização sem resíduo químico;

Maior vida útil e melhor desempenho do equipamento;

Menor consumo de energia;

Redução do consumo de água;

Não necessita de enxágue após a sanitização.

 

E as principais desvantagens:

Água ozonizada – Equipamentos tem custo elevado;

Gás – Não é possível aplicar o gás num ambiente onde estejam alimentos e nem pessoas;

Gás – Possui elevado risco ocupacional.

 

A aplicação pode ser feita com equipamentos?

Uma das maneiras mais modernas e seguras de se realizar a sanitização de ambientes fechados é por meio do processo de nebulização a frio.

Neste, o produto é aplicado por pessoal treinado, com o uso de um equipamento que fraciona o líquido sanitizante. Então, é nebulizado em micropartículas no ambiente, formando uma névoa de baixa densidade, que permanece suspensa no ar. Essa névoa, adere às superfícies, elimina e impede a proliferação de micro-organismos. 

Além da sanitização, o produto cria uma película ativa protetora, impedindo a proliferação de bactérias, ácaros e fungos por um período de até seis meses.

 

Sobre o equipamento

Por seu design e tecnologia, o Hurricane Dyna-Fog é o equipamento ideal para sanitização em áreas industriais, hospitais e  residenciais. 

Sua tecnologia é apta para a distribuição de produtos à base de água e óleo. 

 

Dentre as soluções que o equipamento capaz de dispensar, estão:

Desinfetantes;

Desodorizantes;

Fungicidas;

Neutralizadores de odor;

Água (umidificação);

Germicidas;

Sem dúvida, o design robusto da máquina a torna mais segura e capaz de lidar com líquidos corrosivos e impactos. O tanque de baixo perfil evita o tombamento do líquido interno estando vazio ou cheio.

O tamanho das partículas de gotas pode ser controlado tanto para pulverização UBV quanto para pulverização residual.

Portátil ela é de fácil manejo e leve, o que auxilia no manuseio e reduz significativamente o tempo de aplicação.



  • Rio de Janeiro
  • São Gonçalo
  • Duque de Caxias
  • Nova Iguaçu
  • Niterói
  • Belford Roxo
  • São João de Meriti
  • Petrópolis
  • Magé
  • Itaboraí
  • Mesquita
  • Teresópolis
  • Nilópolis
  • Queimados
  • Maricá
  • Itaguaí
  • Japeri
  • Seropédica
  • Rio Bonito
  • Cachoeiras de Macacu
  • Guapimirim
  • Paracambi
  • Mangaratiba
  • Vassouras
  • Tanguá
  • Paty do Alferes
  • Miguel Pereira
  • São José do Vale do Rio Preto
  • Mendes
  • Engenheiro Paulo de Frontin